Como definir a minha persona? passo a passo

Como definir a minha persona? passo a passo

como definir minha persona

Aprenda o que é uma buyer persona e as 5 etapas básicas para definir sua persona

Persona é um pessoa fictícia que simboliza o cliente de uma empresa, aprenda como definir sua persona nesse post.

Tem como base dados e características reais do cliente, como seu comportamento, desafios, objetivos, dados demográficos e problemas.

A persona é uma ferramenta usada para segmentação de mercado e a base do marketing digital.

  • O que é uma persona de marketing?
  • Quem sua marca deseja alcançar?
  • Para quem você produz conteúdo?
  • Com quem você irá se comunicar?
  • Quem você quer entreter, educar e converter?

Claro, toda estratégia de marketing é orientada para o cliente!

Mas, considerando uma multidão tão grande e diversa, como fazer uma postagem no blog ou criar um layout de site?

É por isso que a marca adota a persona do comprador – uma persona semi-ficcional baseada em clientes que representam a empresa, criados com base em dados reais sobre aquele público.

Em seguida, as políticas serão criadas para definir a persona.

A criação de personas auxilia muito no planejamento da empresa

Uma estratégia de marketing digital precisa estar alinhada com o perfil, interesses e jornada do cliente.

Neste artigo, discutiremos:

  • O que é uma persona de marketing?
  • Qual é a diferença entre persona e público-alvo?
  • Quais os tipos de persona?
  • Qual é o uso de personas?
  • Como moldar sua persona?
  • Como criar estratégias e conteúdo para personas?

O que é uma persona de marketing?

Persona é um pessoas semi-ficcional, criada a partir de dados e comportamentos reais, que simboliza o cliente perfeito de uma marca ou empresa.

Também é chamado de buyer persona ou avatar.

A pesona te oferece uma orientação para criação de conteúdo no marketing digital.

O foco é oferecer um perfil abrangente das características principais dos clientes para a marca desenvolver estratégias consistentes com o seu público e atender às suas necessidades.

Para criar uma persona, você precisará pesquisar:

Onde estão e quem são seus clientes, com o que trabalham, o que fazem no dia-dia, como obtêm informações e quais são seus maiores anseios?

Portanto, as funções são baseadas em dados verdadeiros, não em suposições.

O conceito de persona se tornou mais popular com o inbound marketing e o marketing de conteúdo.

Hoje em dia, as personas são reconhecidas como uma das principais ferramentas para o planejamento das marcas focarem sua estratégia no consumidor.

Qual é a diferença entre persona e público-alvo?

Se você trabalha em uma equipe de marketing, pode ter se acostumado a usar públicos-alvo em suas atividades de marketing.

Mas agora, o papel das personas tem ganhado muito espaço.

Afinal, persona e público-alvo são a mesma coisa? Não, persona e públicos-alvo são diferentes.

O público-alvo apareceu no contexto do Marketing 2.0, e as marcas começaram a colocar os consumidores no centro de sua estratégia.

Não realizavam atividades de marketing para um grande número de consumidores, mas passaram a segmentar o mercado por idade, localidade, gênero, renda, escolaridade, interesses etc., além de características psicológicas e de comportamento.

Portanto, o público-alvo pode ser definido como um grupo de pessoas com características comuns que a marca escolhe para suas campanhas e escolhas publicitárias.

Com uma definição mais abrangente, o público-alvo abre brechas também para estereótipos simplificados e inconscientes.

Afinal, os humanos são muito mais complicados do que dados demográficos e características específicas, certo?

Por sua vez, a buyer persona lida com essa complexidade porque desenha todo o contorno de uma pessoa.

O próprio conceito também tem uma diferença importante: o público-alvo presume que a marca quer atingir apenas um objetivo, enquanto a persona presume que existe do outro lado uma pessoa com quem a marca deseja interagir.

Persona e público-alvo

Mas a persona não substitui completamente o público-alvo – você poderá usar as duas ferramentas.

A seguir, discutirei o papel da persona no marketing e você aprenderá como usá-las para seu público-alvo.

Tipo de persona

Agora que você entende o que é uma persona e para que serve o conceito, é crucial entender também os diferentes tipos de persona.

Sim, existem algumas opções nesta ideia e cada um tem um propósito diferente.

Buyer persona

O exemplo mais comum neste campo é a Buyer persona.

Como o nome sugere, representa um perfil semi-ficcional do seu comprador ideal.

Em outras palavras, os comportamentos, necessidades, desafios e objetivos dos consumidores finais de sua empresa.

Por meio dessa criação, você pode se esforçar para ter um impacto positivo nos clientes em potencial e aumentar as oportunidades de vendas.

E para entender suas preferências em relação aos métodos de pagamento ou para determinar como sua solução resolve o problema desse cliente.

Ao compreender seu comportamento de compra, se tornará mais fácil planejar uma estratégia eficaz e alcançar o efeito desejado.

Audience persona

A interatividade e a participação entre marcas e usuários se faz muito importante no meio digital, e esses públicos costumam apresentar uma imagem diferente de seus compradores.

Por isso, o ideal é criar personas de público que representem quem visita sua página nas redes sociais, lê as postagens do seu blog e até assista seus vídeos.

Personagem protótipo

A persona protótipo é uma versão inicial das muitas personas da empresa.

É criado através de brainstorming de sua equipe, validando quais são as principais características do cliente.

Esta é a direção inicial para começar a construir um arquivo de configuração mais completo.

Marca

A persona não deve ser somente o seu consumidor ou público, mas também a sua própria empresa.

isto está correto!

A ideia é humanizar sua marca e obter um perfil pessoal que represente os valores e a visão da empresa, para que esses conceitos sejam transformados em informações mais eficazes.

Qual é o uso de personas?

Vamos entender mais detalhadamente como utilizá-las no marketing, juntamente com o público-alvo.

O público-alvo pode ser a primeira etapa para definir o grupo de consumidores com o qual sua marca deseja se comunicar.

Então, você pode aprofundar sua compreensão deles por meio da persona.

Compreenda a importância do seu produto para o seu público afim de definir a persona ideal.

A persona tenta descrever a vida diária da pessoa, focando na dor, dúvidas, desejos e necessidades associados à proposta da empresa.

Há um espaço ocupado por um produto na vida das pessoas e seu valor para o público.

Defina canais de comunicação

A persona abrange os canais pelos quais o público obtém informações, conversa com os amigos e interage mais com a marca.

Então, é nesses canais que você deve atuar para se comunicar com as pessoas.

Defina as diretrizes de marketing de conteúdo

Personas desempenham um significado importante no marketing de conteúdo.

Eles levantaram as principais preocupações e necessidades do público.

A pergunta de cada personagem pode ser transformada em uma postagem de blog ou uma postagem de mídia social.

O conteúdo, então, busca resolver essas dificuldades no processo de compra e orientar os consumidores do início ao fim do funil de vendas.

Defina o melhor idioma e tom

Além das diretrizes, as funções também são usadas para orientar a linguagem e o tom do conteúdo.

Afinal, você sempre precisará comunicar-se melhor com as pessoas.

Por exemplo, se o seu público é jovem, é inútil usar um tom formal.

Por exemplo, as campanhas de mídia paga exigem que você defina um público-alvo para filtrar as pessoas que deseja alcançar.

No entanto, a função o ajudará a estruturar as informações para essas atividades no idioma e no tom corretos.

Como moldar sua persona?

Ok, vimos o que é uma persona e para que serve.

Mas, afinal, como definir uma persona para sua marca?

Você não pode simplesmente descrever alguém que você pensa que representa seu cliente.

Você também não pode cair na ideia de “Eu já conheço meus clientes”, porque nossas opiniões nos enganarão.

Para cumprir seu papel, a persona deve ser o resultado de pesquisas, análise e construção.

Basicamente, ela deve seguir as cinco etapas a seguir:

  1. Colete informações do cliente;
  2. Faça perguntas a esses clientes;
  3. Analisar os dados obtidos;
  4. Construir a persona;
  5. Compartilhe persona com a equipe.

A seguir, explicarei cada etapa com mais detalhes e esclareceremos algumas questões que podem aparecer no processo para você saber como definir a persona.

1. Como coletar dados para criar personas?

O primeiro momento para estabelecer um papel é “ir para a cena”.

Os pesquisadores usam essa expressão ao coletar dados para suas pesquisas.

Isso é o que você deve fazer primeiro: coletar dados do cliente.

Uma coleta de dados eficaz se inicia com um bom plano de pesquisa, que abrange a definição de objetivos e públicos-alvo e a construção de ferramentas de coleta.

Os objetivos da pesquisa e o público-alvo ficaram mais claros, certo?

Você quer saber o perfil dos clientes.

Claro, você poderá ter outros objetivos, mas o objetivo principal geralmente é este para saber como definir a persona.

Também poderá incluir outros clientes e clientes em potencial, mas é importante focar naqueles que já compraram de sua empresa e perceberam o valor de seu produto.

Para conduzir uma pesquisa, você poderá fazer uma combinação diferentes métodos e ferramentas para fornecer uma visão abrangente e completa do seu perfil de cliente-objeto de pesquisa.

Você poderá realizar dois tipos de pesquisa: qualitativa e quantitativa.

Embora pesquisas quantitativas sejam aplicáveis a mais pessoas e possam medir o comportamento da base toda, há menos pesquisas qualitativas, mas podem ser obtidas respostas mais profundas.

Entre pesquisas quantitativas, você poderá realizar questionários fechados ou coletar dados de ferramentas como o Google Analytics.

Na pesquisa qualitativa, métodos como entrevistas, grupos de foco e weblogs podem ser conduzidos.

De um modo geral, questionários e entrevistas são métodos mais comumente usados.

Normalmente, são feitos através da Internet, mas a coleta de dados face a face permite perceber as nuances dos comportamentos que são bloqueados pelo virtual.

Envie pesquisas por e-mail, pedindo que respondam após o serviço ou quando alguém concluir uma compra.

Dessa forma, você pode coletar as respostas dos consumidores no ambiente onde eles pesquisam e compram.

Se tiver uma localização física, pode deixar pessoalmente o questionário na entrada ou no caixa da loja.

2. Que perguntas fazer ao cliente?

Você já sabe o que perguntar aos clientes?

Este é um problema muito comum para saber definir a persona.

Claro, as questões variam de unidade de negócio para unidade de negócio, mas aqui tentamos levantar as principais questões que devem surgir na investigação a fim de estabelecer o papel.

Uma boa opção é dividir o problema em cinco estágios:

demografia, pessoal/profissional, consumo de conteúdo, hábitos de compra e relacionamento com a empresa.

Veja alguns exemplos:

Demografia

  • Qual é o seu gênero?
  • idade?
  • cidade?
  • educação?

Pessoal / Profissional

  • Como é seu dia a dia?
  • Quais são suas responsabilidades?
  • Quais são seus objetivos e obstáculos para alcançá-los?
  • Consumo de conteúdo
  • Qual rede social você usa?
  • Como você se mantém informado?
  • Como você aprende novas habilidades?
  • Em quais assuntos você mais gosta de se concentrar?

Hábitos de compra

  • Qual marca você costuma usar?
  • Como você entende a marca e o produto?
  • Onde você costuma comprar?
  • Quais canais você prefere para interagir com a marca?

Relacionamento com a empresa

  • O que o levou a buscar uma solução da empresa x?
  • Como a empresa pode ajudá-lo a resolver seus desafios?
  • Qual é a qualidade mais alta da empresa?

Use essas perguntas para construir seu questionário de acordo com seu segmento de mercado e suas dúvidas sobre seus clientes.

Se quiser realizar uma entrevista pública, basta usar o roteiro de perguntas e orientar a conversa com mais facilidade.

É importante estar atento a quais e quantas perguntas seus clientes estão dispostos a responder.

3. Como analisar a coleta de dados?

Depois da aplicação da pesquisa, você obterá muitos dados sobre seus clientes.

Você precisará tabular os dados, transcrever a entrevista e analisar todo o conteúdo coletado.

Na análise, tente identificar padrões na resposta.

Eles representam as características, problemas, desafios e problemas comuns a muitos clientes e devem fazer parte da persona.

Se você notar que quase todos respondem que concluíram o ensino superior e usaram o Instagram para interagir com as marcas, a seguir estão as características dos perfis dos personagens.

Para fazer isso, você precisará organizar as respostas de forma prática.

Você poderá criar uma tabela usando as etapas da pergunta que sugeri anteriormente e preenchê-la com os dados coletados da pesquisa.

Portanto, você será capaz de visualizar informações repetidas.

4. Como construir a persona?

A partir da análise, a persona se tornará viva.

Terá um nome, um rosto e um contorno claro, bem como as características comportamentais que considera mais relevantes.

O segredo aqui é tratar os personagens como pessoas reais, que vão interagir com a marca, ler seu conteúdo e comprar seus produtos.

Tente escrever um texto com a descrição sobre a pessoa que você está criando.

Portanto, é mais fácil perceber seus hábitos, comportamentos e sua relação com a marca.

5. Como permitir que a equipe use personas?

Se a equipe de marketing não usa personas, criar personas é inútil.

Uma boa atitude para promover o uso de papéis é envolver toda a equipe em sua criação.

Desta forma, todos podem entender sua finalidade e mais fácil lembrar do avatar.

Além disso, uma vez que a persona tenha um perfil e uma história, você poderá sintetizar os dados em uma tabela de resumo e escolher uma imagem que irá descrever a pessoa personificada.

Esta seção pode ser compartilhada via e-mail, impressa e distribuída, afixada no mural da empresa.

O importante é que todos entendam a persona e a considerem em seus processos.

Você poderá criar várias personas?

Ao coletar dados, você poderá descobrir que há mais de um perfil que domina o cliente, o que poderá levar à criação de várias personas.

No entanto, é recomendável não abusar dele, especialmente quando você está apenas começando.

Muitos papéis irão distrair sua estratégia e conteúdo.

Portanto, você poderá ter várias personas apenas quando percebe que as diferenças entre as personas têm um efeito decisivo na estratégia, no conteúdo e nos métodos.

Mas se suas dores e necessidades forem as mesmas, eles podem ser integrados em uma persona.

Como criar uma persona sem cliente?

Se a persona é baseada em dados do cliente, como você realizará pesquisa se a empresa ainda não tem clientes?

Nessas situações, você poderá usar outros métodos de pesquisa para entender o público com o qual sua marca interage e quem se tornará o cliente ideal.

Estas são as principais soluções:

  • Pesquisa de mercado;
  • Use seus contatos para pesquisar;
  • Google Analytics (caso a empresa já possua site ou blog);
  • análise da concorrência.

A combinação desses métodos permite que você extraia dados confiáveis para construir seu personagem.

Se você já os tem, eles também poderão ser usados para complementar a coleta de dados do cliente.

Como criar estratégias e conteúdo para personas?

Agora a persona precisa entrar no marketing.

Como aplicar todas essas tarefas em seu processo?

Ao planejar qualquer estratégia de marketing, devem existir personas.

Ao definir as metas, objetivos e indicadores de uma atividade, você também precisa definir a persona a que se destina.

Por exemplo, ao definir o preço de um produto, você precisa considerar o que a persona pensa sobre o produto e o preço que o personagem está disposto a pagar.

Ao considerar o layout do site, você também deve considerar o perfil da persona, o que é mais importante para ela e como ela irá navegar na página.

Ao criar eventos pagos, as personas ajudam a definir os segmentos de público e a criar mensagens mais envolventes e persuasivas que realmente se comunicam com eles.

O importante é se colocar na perspectiva da persona e pensar no que é coerente com ela.

As personas farão isso? Ela está disposta a ler este conteúdo? Como ela responderá a esta campanha?

No Inbound Marketing, diferentes questões, pontos fracos, desafios e necessidades em cada estágio do processo de compra também precisam ser considerados, o que coincide com as várias fases do funil de vendas.

Para cada fase, existem diferentes formatos de conteúdo para melhor se adequar à persona:

Topo do funil- postagens de blog, infográficos, podcasts, boletins informativos, mídia social.

Meio de funil- postagens de blog (mais intensas), marketing por e-mail, e-books, webinars.

Fim do funil- histórias de clientes, webinars de vendas, análises de produtos, demonstrações de produtos, conversas com consultores.

Para cada fase, também existem diferentes diretrizes de produção de conteúdo para sanar as dúvidas da persona.

Afinal, são nessas questões que os consumidores entram no Google na forma de palavras-chave.

Então, quando o conteúdo é gerado com base neles, eles poderão ser ativados nos resultados dessas pesquisas.

Enfim, agora você já sabe o que são as personas, seus propósitos e como criar seu avatar.

Com eles, aqueles consumidores tão distantes e comuns tornou-se mais próximo e compreensível.

Quando uma pessoa representa o público, é mais fácil entender seus desejos, dores e necessidades, e também mais fácil entender como as marcas agregam valor às suas vidas.

Estes são os 5 passos básicos e essenciais pra você entender como definir sua persona de forma simples e de fácil entendimento.

 

Se este conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário, curta e compartilhe

You May Also Like

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *